Quer se trate de questões climáticas e ecológicas, da migração, do aprofundamento das desigualdades ou, ainda, da erosão dos princípios republicanos e da liberdade da imprensa, a cooperação é indispensável. Pilar da democracia, também o jornalismo deve acompanhar esta mudança e permitir que todos os europeus se tornem intervenientes informados do seu destino comum.

Os cidadãos entenderam a mensagem e estão a organizar-se, substituindo as suas experiências e iniciativas a nível local no contexto transnacional e europeu que lhes é subjacente. Queremos dar-lhes a palavra e manter vivo o debate sobre as grandes questões enfrentadas pelos europeus no dia a dia. O envolvimento dos intervenientes da sociedade civil mostra a adesão aos valores fundamentais de solidariedade, tolerância, inclusividade e fraternidade que formam o cadinho de uma Europa unida. Com eles, queremos construir pontes entre cidadãos e contribuir desta forma para a criação de um espaço público e cívico europeu. Isto porque nenhuma democracia europeia pode emergir sem uma opinião pública europeia sólida.

Jornalismo para todos os europeus

Marcados pela história dos nossos pais e avós, influenciados por vários idiomas e culturas europeias, há um projeto que nos une: participar na construção deste futuro comum encontrando a energia necessária na vontade de paz que constituiu a força e a originalidade do projeto europeu, forjado no desastre das duas guerras mundiais. Apesar de esta vontade ainda manter a UE unida, está fortemente abalada com a reescrita da história, a subida do populismo e da extrema direita e a tentação xenófoba. Numa era mais do que nunca dominada pelas redes sociais, as “fake news” e câmaras de eco mediáticas, nunca foi tão essencial ter acesso a uma imprensa de qualidade, independente e capaz de descodificar as questões comuns. Para enfrentar o regresso dos extremistas, e as atitudes nacionalistas, é preciso mais do que nunca promover a realização de debates, bem como a partilha de ideias, de informações e conhecimento.

Independente, multilingue, gratuito e apoiado pelos seus leitores

Enquanto a maior parte dos meios de comunicação tradicionais reduz, por motivos económicos, a presença dos seus correspondentes nos países europeus, o VoxEurop quer contribuir para a criação desta informação europeia indispensável e de qualidade. A linguagem da Europa é a tradução, dizia com presciência o génio universal contemporâneo que era Umberto Eco. Através da tradução dos artigos em dez (ou mais) línguas, bem como de um fórum multilingue, pretendemos que todos os europeus possam manter-se informados e participar o máximo possível nos debates na sua língua nativa. Para o conseguir, apostamos na solidariedade, e dependemos do apoio dos nossos leitores para garantir a independência e gratuitidade do nosso site. Administrado pela primeira cooperativa europeia de imprensa, desde setembro de 2017, o VoxEurop reúne uma comunidade de contribuidores e jornalistas profissionais, tradutores especializados, média parceiros, correspondentes e editorialistas, bem como leitores fiéis de todos os países.

Cobrir a Europa à altura dos europeus e contribuir para o debate de ideias que transcendem as fronteiras e os idiomas, tal é o grande desafio jornalístico que decidimos enfrentar e a aventura cidadã para a qual vos convidamos. Construamos juntos o meio de comunicação de referência da sociedade civil e dos cidadãos europeus!