Todas as crianças alemãs que cresceram com a televisão conhecem a Europa: descobriram Praga com “Pan Tau”, Yorkshire graças a uma série da BBC (“All Creatures Great and Small”) e os curtos verões de Smaland através das aventuras da Pipi das Meias Altas.

Foi um tempo em que os animadores das emissões de variedades se manifestavam orgulhosos por receber convidados “do estrangeiro”, que se apressavam a qualificar como “vedetas internacionais”, desde que tivessem cantado alguma vez em Montreux. O cúmulo do chique para os apresentadores era descer os degraus do cenário cumprimentando o público em várias línguas. Hoje, a utilização do alemão clássico parece, por vezes, representar uma questão para alcançarem êxito na carreira.

[...] **Este artigo foi retirado a pedido do proprietário dos direitos de autor.**