Faltam-lhe os airbags, o ESP [controlo eletrónico de estabilidade], o catalisador, os faróis de halogéneo, um sistema de ajuda ao estacionamento, os vidros elétricos. Ninguém se lembraria de fazer um lifting a um velho Carocha Volkswagen de 40 anos para o adaptar à circulação moderna, duas vezes mais intensa e muito mais rápida do que na época em que este veículo saiu. Quantos de nós estariam dispostos a ir todos os dias para o trabalho nesse velho chaço? O Carocha do começo dos anos 1970 não serve sequer para o passeio de domingo: não é suficientemente antigo nem suficientemente original.

[…] **Este artigo foi retirado a pedido do proprietário dos direitos de autor.**