A Estónia tem realizado grandes esforços para preparar as pessoas para a entrada em vigor do euro, mas parece que a informação da população russófona foi bastante negligenciada. É patente a indiferença com que os meios de comunicação social de língua russa tratam o assunto, mas também a incapacidade do Estado estónio para fornecer uma informação relevante para a minoria russófona.

Neste contexto, circulam boatos de todo o género na cidade de Narva. Considera-se, por exemplo, que os cêntimos de coroa estónia não vão ser trocados, ou então a um câmbio mais baixo. Diz-se igualmente que, nos primeiros dias da mudança de moeda, não haverá suficiente liquidez ou trocos suficientes nas lojas.

Estes boatos podem incitar as "babuchkas" a meter os netos debaixo do braço e correr a trocar moedas por notas no único local da cidade que aceita moedas. Porquê envolver os netos? Porque, para eles, este serviço bancário é gratuito. Do mesmo modo, já são numerosas as pessoas que trocaram as suas coroas estónias por euros, antecipando um eventual aumento do câmbio até ao outono.

Casas de câmbio pouco escrupulosas

As casas de câmbio, muito mais bem informadas e numerosas nesta cidade fronteiriça, anunciam os câmbios que lhes apetece. O boato mais absurdo em circulação é o do preço do rublo: diz-se que vai aumentar, como tudo o mais. Sobre este assunto, são tantos os "especialistas" como as explicações: "Os preços subiram na Finlândia, com a chegada do euro. Os preços estão já a subir na Estónia. (…) Se todos os preços sobem, porque não o do rublo?"

A divisa russa constitui um meio de pagamento muito significativo para grande parte dos habitantes da fronteira, porque permite efetuar idas e voltas diárias ao outro lado do rio, para comprar e vender. É, pois, uma questão muito sensível para a população. Logicamente, com a chegada do euro, o rublo será menos caro. Mas, de momento, as casas de câmbio aproveitam estes rumores para "jogarem" com os câmbios das três divisas e confundirem os habitantes de Narva. Vai ser necessário esperar o desaparecimento total da coroa para que a taxa de câmbio entre o euro e o rublo estabilize, nomeadamente no espírito dos estónios.

Para minorar esta situação, é urgente que as autoridades estónias façam tudo para evitar que circule ainda o tipo de tolice que ouvi a uma velhota: "Eu cá, em dezembro, vou trocar todo o meu dinheiro em rublos, porque nunca se sabe…"