Luigi Zingales escreve no Il Sole 24 Ore que a natureza esquerdista radical do Syriza não devia desviar a atenção do tratamento injusto da Grécia. O FMI tê-lo-ia certamente feito melhor do que a troika.

O problema não é Alemanha nem a Grécia: o problema são as fundações políticas da União Europeia. Esta consiste numa união monetária, não numa união política, onde as decisões económicas não podem ser tomadas de forma democrática e acabar por ser vítimas dos interesses dos países com economias mais fortes.

Está disponível uma tradução em inglês no blogue de Zingales.