Itália: O divórcio

O divórcio – Giannelli
Corriere della Sera (Milão)

Silvio Berlusconi para Angelino Alfano:

Vou ser claro: não vou pagar a tua pensão alimentar!

No dia 16 de novembro, em Roma, Silvio Berlusconi presidiu a uma convenção para marcar a dissolução do partido do Povo da Liberdade (PDL) e o regresso do Forza Italia, o partido criado no início da sua carreira política em 1994 e que foi desmantelado em 2009, no mesmo ano em que a sua mulher Veronica entregou os papéis do divórcio.

O vice-primeiro-ministro Angelino Alfano e mais de 60 deputados e ministros do PDL – que já tinham resgatado o Governo de coligação de Enrico Letta num voto de confiança em outubro – decidiram não acompanhar o Cavaliere na sua última aventura, que Alfano descreveu como “extremista”, preferindo criar um novo partido conservador moderado chamado Novo Centro-Direita italiano (NCD).

A divisão de um dos principais pilares da coligação voltou a suscitar preocupações em relação à estabilidade política da Itália. Se o Forza Italia passar para a oposição após a votação do Senado sobre a expulsão de Berlusconi, prevista para o dia 27 de novembro, a maioria do Governo na câmara alta será reduzida a um punhado de votos.