Apoie o jornalismo europeu independente e de acesso livre – faça um donativo ao VoxEurop

Ataque de Copenhaga: A espiral do terror

A espiral do terror – Martirena
Cartoon Movement (Amsterdam)

No dia 15 de fevereiro, um assassino isolado, Omar Abdel Hamid el Hussein, de nacionalidade dinamarquesa, abateu duas pessoas em Copenhaga. O primeiro atentado ocorreu num café, durante uma manifestação sobre a liberdade de expressão de apoio ao semanário satírico francês, Charlie Hebdo, após o ataque que a publicação sofreu em Paris no mês de janeiro, na qual participavam, entre outros, o ilustrador sueco Lars Vilks, ameaçado de morte devido às suas caricaturas de Maomé, e o documentalista dinamarquês Finn Nørgaardm, que foi atingido mortalmente. O país já foi objeto de várias ameaças devido à publicação de caricaturas de Maomé por parte do diário Jyllands-Posten, em 2005.

O diário El País afirma que a “Dinamarca revive o horror de Paris”, uma vez que este atentado tem uma mecânica similar, fazendo temer uma expansão deste tipo de ataques pelo continente europeu. A primeira-ministra dinamarquesa, Helle Thorning-Schmidt, qualificou o ato como “um ataque à nossa democracia”.