A primeira eleição presidencial por sufrágio universal vai realizar-se nos dias 12 e 13 de janeiro. Entre os nove candidatos que se apresentam, os favoritos para a segunda volta de 25 e 26 de janeiro são Miloš Zeman e Jan Fischer, dois antigos primeiros-ministros, bem como Karel Schwarzenberg, atual ministro dos negócios estrangeiros, que beneficiou de uma onda de apoio surpreendente durante os últimos dias da campanha.

Cover

A quem é que os checos vão confiar o Castelo de Praga? – Mladá Fronta DNES

O primeiro-ministro escocês, Alex Salmond, foi absolvido das acusações de ter enganado o público ao dizer que tinha procurado aconselhamento jurídico sobre a entrada da Escócia na UE quando, de facto, não procurou. Uma investigação oficial apurou que o chefe do Governo fez uma declaração “baralhada, incompleta e confusa” quando disse que a Escócia não teria de pedir a adesão à UE no caso de se separar do Reino Unido. O inquérito criticou a declaração mas concluiu que não quebrou o código ministerial.

Cover

Salmond absolvido na batalha sobre a UE – The Scotsman

O primeiro-ministro Victor Ponta apresentou um projeto de orçamento que favorece as despesas sociais. O seu objetivo é reduzir o défice orçamental eliminando os desperdícios e melhorando a cobrança de receitas do Estado, em vez de se continuar com os cortes orçamentais. Segundo Ponta, a Roménia tem uma dívida de 34,7% do PIB, ou seja, 2500 euros por cada romeno.

Cover

A “nova equidade orçamental” da Roménia segundo o Governo de Ponta – România liberă

No diário Magyar Hirlap, o jornalista Zsolt Bayer apelou à “erradicação dos animais ciganos”. O escândalo provocado pelas declarações desta personalidade próxima do partido no poder ganha uma dimensão europeia. A vice-presidente da Comissão Europeia, Viviane Reding, responsável pela justiça, pelos direitos fundamentais e a cidadania, considerou estas declarações “inaceitáveis”.

Cover

Até os europeus deploram Bayer, do Fidesz – Népszava

Dois universitários estudaram a forma como eram realizadas as investigações sobre o racismo na Dinamarca nestas últimas três décadas. Concluíram que os investigadores têm tendência em fazer os imigrantes de vítima e em qualificar de racista a forma de agir dos dinamarqueses. Henning Bech e Mehmet Ümit Necef garantem, por exemplo, que proibir o acesso a discotecas aos imigrantes não é forçosamente racista, uma vez que as estatísticas mostram que os membros de certos grupos étnicos se comportam de forma agressiva com as mulheres ou comprometem o negócio dos estabelecimentos.

Cover

Afinal não és racista – Berlingske

Três militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) foram assassinados com uma bala na cabeça, a 9 de janeiro. As três vítimas eram funcionários do centro de informação do Curdistão. Estas “execuções”, palavra utilizada pelos investigadores, acontece numa altura em que o Governo turco negoceia com o PKK para pôr fim a um conflito que já fez 45 mil mortos desde 1984. Considerado como um movimento terrorista pela UE, o PKK é a principal formação independentista dos curdos da Turquia.

Cover

Execução no centro de Paris – Milliyet

Com 60 kg de carne por ano, os alemães estão entre os povos mais consumistas de carne no mundo. Ao longo da sua vida, cada um come 945 frangos, quatro bois, quatro ovelhas, doze gansos e 46 perus. Um novo Atlas da carne publicado pela Bund Naturschutz (Associação de proteção da natureza) e Le Monde diplomatique alerta para as consequências da engorda de animais de criação.

Cover

Cada alemão come 1094 animais – Die Welt