Cover

"Reduções de impostos vão contra promessas do governo", traz o Politiken, após o discurso da recém-empossada primeira-ministra. Na abertura do novo Parlamento, eleito em 15 de setembro, a social-democrata Helle Thorning-Schmidt anunciou um programa económico que está em consonância com o do anterior governo liberal-conservador. Assim, observa o Politiken, "Thorning pode retomar a política de reformas interrompida" pelo executivo de Lars Løkke Rasmussen, podendo ir mesmo mais longe, no campo económico. A razão, diz o jornal, prende-se às concessões que Thorning-Schmidt teve de fazer ao Partido Social Liberal e ao Partido Popular Socialista, que têm um peso significativo na coligação que lidera.

Quanto à política de imigração, área em que os sociais-democratas prometeram prosseguir a política de restrições do Governo de Rasmussen, os parceiros do novo Governo impuseram as suas opiniões, exigindo à partida que os controlos nas fronteiras, reintroduzidos em maio passado e que causaram alvoroço na Europa, sejam removidos. Uma medida que "vai devolver a dignidade à Dinamarca", considera o Politiken.