Cover

O prémio Nobel da Literatura atribuído a Tomas Tranströmer “é um triunfo para a poesia”, congratula-se o Dagens Nyheter. A distinção atribuída ao poeta, a 6 de outubro, pela Academia sueca, recompensa uma obra que “evoluiu em harmonia com a Suécia moderna. Nunca se separou dessa Suécia mas olhando-a de longe”. Não é por acaso que tenha sido um dos poetas que foi lido em 2003, durante um dos acontecimentos mais marcantes do país, as exéquias de Anna Lindh, a ministra dos Negócios Estrangeiros assassinada, escreve ainda o diário, para quem “o prémio Nobel deste ano é um triunfo para a poesia como modo de vida, pela sua capacidade de iluminar as experiências da vida das pessoas comuns”.