Cover

"Basta! Não pagamos mais a taxa ao Santoro e aos seus camaradas." Depois do apelo lançado pelo jornal La Repubblica em defesa da liberdade de imprensa – que recolheu, segundo o diário de esquerda, mais de 430 mil assinaturas –, desta vez é Il Giornale quelança uma iniciativa popular, exortando os italianos a não pagarem a taxa de televisão. O objectivo do jornal de Silvio Berlusconi é "punir" a RAI, a estação de TV pública, pelas "porcarias" difundidas na primeira emissão de "Annozero" programa da RAI2 apresentado pelo jornalista de esquerda Michele Santoro, que contou com a presença do convidado-vedeta, o jornalista de investigação Marco Travaglio, autor de diversos livros sobre Berlusconi. Vários membros do Governos acusaram o programa de ter exagerado na crítica ao primeiro-ministro.

Ainda nas páginas de Il Giornale, Marcello Veneziani, um dos mais destacados intelectuais de direita, acusa a RAI de ser, toda ela, "um circo, a soldo dos sindicatos, dos partidos e da nomenklatura". Já a oposição de esquerda prefere apontar o paradoxo do Governo, que convida os cidadãos a recusarem o pagamento de um serviço público que é, além disso, é concorrente das estações de Silvio Berlusconi.