Cover

“Merkel amedronta os mercados”, titula Il Sole 24 Ore, um dia após o “balde de água fria” das declarações do porta-voz da chanceler “sobre as expectativas dos que pensam que o Conselho Europeu de 23 de outubro terá uma contribuição decisiva na resolução da dívida soberana da zona euro”. “O sonho de acordar no dia seguinte com tudo resolvido não se concretizará”, acrescentou. No mesmo sentido, o ministro das Finanças alemão Wolfgang Schäuble declarou que “uma solução definitiva na cimeira europeia é algo improvável”. Ambas as intervenções, que contrastam com o otimismo de Angela Merkel e Nicolas Sarkozy no último encontro, provocaram uma queda nas bolsas europeias e um novo afastamento entre os Tesouros alemão e francês. Segundo Il Sole, os mercados compreenderam “o sinal lançado pela Alemanha: manter a pressão para que os outros países não diminuam o empenho em consolidar as respetivas finanças públicas”.