Cover

"Trabalhar até aos 67 anos é inevitável", lê-se na manchete de De Volkskrant. Na verdade, os holandeses poderão vir a ter de trabalhar mais dois anos do que actualmente, como propôs o Governo, em Março de 2009. As negociações entre parceiros sociais e um grupo de peritos independentes, reunidos no seio do Conselho Económico e Social (SER), foram um fracasso absoluto, constata este diário de Amesterdão. As discussões para encontrar uma alternativa ao projecto do Governo duraram seis meses mas não levaram a nada. De Volkskrant considera o facto como "um golpe duro para o nosso modelo de consenso", conhecido na Holanda pela designação de "modelo dos polders", tanto mais que o SER é "o organismo mais importante dos polders" e ficou "fora de jogo". A bola está agora no campo do ministro dos Assuntos Sociais, o democrata-cristão Piet Hein Donner, a quem cabe resolver o problema do défice das reformas de 35 milhões de euros anuais, a partir de 2011.