Cover

Ao mesmo tempo que os todos os olhares da Europa se focam, hoje, na Irlanda, os croatas regressam à mesa das negociações, em Bruxelas, relata a Gazeta Wyborcza. Durante perto de dez meses, a Eslovénia conseguiu bloquear as conversações sobre a adesão da Croácia à UE, a pretexto de uma disputa fronteiriça quanto à baía de Prian e ao rio Dragonja, que se arrasta desde o colapso da Jugoslávia, em 1991. Há duas semanas, o primeiro-ministro esloveno, Borut Pahora, reuniu-se com a sua homóloga croata, Jadranka Kosor, para tentar encontrar uma solução amigável para este conflito de interesses. A Croácia acedeu a prometer à Eslovénia acesso ao Adriático, através da baia de Prian e os eslovenos concordaram em não fazer depender as negociações de uma arbitragem.

Segundo aquele diário de Varsóvia, vários analistas consideram que a Croácia é o único país que tem hipóteses de se tornar membro da UE, num "futuro próximo". A maior parte dos croatas é a favor da adesão à UE. Até agora, Zagrebe abriu 22 e concluiu 7 dos 33 dossiês de adesão. No entanto, o comissário europeu responsável pelo alargamento, Olli Rehn, pensa que as negociações com a Croácia deverão ficar concluídas no segundo semestre de 2010.