Cover

Ao aprovar, a 5 de Novembro, a passagem do futuro gasoduto Nord Stream pelo largo das suas costas, a Suécia e a Finlândia levantaram as últimas dúvidas sobre este projecto, lançado pela Rússia e pela Alemanha em 2002. Com a imprensa polaca e báltica preocupada com as consequências para a segurança energética dos respectivos países, o diário sueco Dagens Nyheter destaca, na sua primeira página, as preocupações dos habitantes da ilha de Gotland, situada precisamente no traçado definido pelos mentores do Nord Stream. No seu editorial, o jornal recorda o facto de a Europa receber da Rússia um quarto do seu gás e que, face a Moscovo, "é necessária uma política europeia de segurança comum". "O autoritarismo de Moscovo representa um problema de política de segurança. As divisões internas no seio da União Europeia, também", considera o Dagens Nyheter.