Cover

Será que a França se arrisca a avariar? Incitado pela vaga de frio que varre o país, o consumo de electricidade não pára de aumentar, o que poderá provocar escassez deste recurso, alerta Le Monde. O diário parisiense explica que que "sete milhões de lares franceses" são aquecidos a electricidade, "constituindo metade do parque habitacional europeu aquecido dessa forma". Segundo o diário francês, se as temperaturas continuarem abaixo dos níveis médios, é possível que ocorram apagões, pois "o modelo francês nuclear (85% da produção de energia eléctrica) não está bem adaptado aos picos de consumo no Inverno". A EDF – Electricidade de França – já se viu forçada a importar milhares de megawatts da Alemanha. Nesse país, entretanto, a chanceler é acusada pelo Tageszeitung de ser a "principal destruidora do clima". Este jornal de Berlim constata que Angela Merkel, que gosta de se apresentar como "eco-apaixonada", aquece a sede do Governo a carvão e gás, fontes de energia subvalorizadas na Alemanha, mas que ascendem a 71 631 euros por ano e provocam a emissão anual de 4715 toneladas de dióxido de carbono.