Um ano após o fracasso das últimas negociações internacionais sobre o programa nuclear iraniano, “a UE quer negociar com o Irão”, anuncia Die Welt. O diário berlinense adianta que a chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, fez esta oferta em nome do grupo 5+, composto pela Alemanha, a França, o Reino Unido, a China, a Rússia e os Estados Unidos. Ao relembrar que os Estados Unidos e Israel continuam a divergir sobre a linha a seguir no dossiê iraniano, uma vez que Barack Obama privilegia a diplomacia em vez de possíveis incursões militares evocadas por Benjamin Netanyahu, o editorial de Die Welt “agradece a Israel”:

Não nos iludamos: se a Europa envia a tão eloquente como impotente Catherine Ashton em reconhecimento para iniciar uma discussão com o Teerão, se Barack Obama eleva a voz contra o desafio iraniano há já alguns meses, deve-se apenas ao facto dos israelitas se fazerem de fortes e afirmarem que ninguém os pode controlar. [...] Se [os israelitas] tivessem sido tão prudentes como a maioria dos Estados, Teerão não teria problemas em aceder brevemente à bomba. [...] Em caso de urgência, será o Ocidente quem deverá retirar as armas nucleares das mãos dos dirigentes iranianos.