"Para onde vão os 130 mil milhões de euros da ajuda financeira à Grécia?" A resposta apresentada por Die Gazette é perentória: as instituições financeiras estrangeiras recebem 40% do pacote de resgate, a banca grega, 23%, e o Banco Central Europeu, 18%. Os restantes 19% destinam-se a necessidades de financiamento da própria Grécia.

Por outras palavras, mais de 80% do pacote de resgate é para os credores, isto é, para os bancos estrangeiros e para o BCE. Os milhares de contribuintes não estão a salvar a Grécia mas os bancos.

Para a publicação trimestral alemã, a ambição de reduzir o endividamento do país de 160% do PIB para 120% até 2020 é uma "miragem".