Cover

“De Gucht não pode ir ao Congo”, titula o De Standaard: o actual Comissário Europeu para o Desenvolvimento (e próximo Comissário para o Comércio) foi informado, pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros congolês, de que, neste momento, é indesejado na República Democrática do Congo (RDC). Kinshasa censura Karel De Gucht pelas palavras por ele usadas durante um debate do Parlamento Europeu, em Dezembro. O Comissário denunciou a ausência, entre outras coisas, de “contrapartidas apropriadas” por parte das autoridades congolesas perante a ajuda europeia. Para o De Standaard, De Gucht podia ter-se mostrado mais diplomático mas “na realidade, não disse se não a verdade”. A reacção de Kinshasa foi programada, adianta o diário flamengo, porque as autoridades congolesas têm uma conta corrente com De Gucht, “desde que ele declarou, em 2004, não conhecer homens políticos competentes no Congo”.