Cover

“A Europa está farta das mentiras de Orbán”, assegura o Népszava. O diário explica que o Governo húngaro recusa submeter-se às condições apresentadas pela Comissão Europeia, o FMI e a União Europeia para orientar as negociações sobre a ajuda financeira ao país. Em causa está um crédito de 15 a 20 mil milhões de euros, mas as negociações não avançam, uma vez que o Governo húngaro deu falsas garantias às preocupações europeias”, realça o diário de esquerda:

Desde as últimas semanas que o Governo húngaro conhece as condições, mas recusa submeter-se às mesmas. […] A situação é clara. Bruxelas quer que a democracia, colocada em causa, seja restabelecida. Algo que Orbán não quer prometer.

O outro diário de esquerda, Népszabadság, considera por sua vez que

o Governo está em maus lençóis. […] As condições do crédito são conhecidas desde janeiro e não mudaram. Consistem em garantir a independência do Banco Nacional e o funcionamento fiável da Justiça. […] E não ficamos por aí: surgiram outros problemas com as novas leis fundamentais – nomeadamente as novas leis sobre a família e o código eleitoral – uma vez que a Europa pensa ser necessário examinar na íntegra o novo sistema constitucional do nosso país. […] Quanto às condições muito precisas relativas à Justiça, convém realçar que o Estado de Direito é uma questão de honra na União Europeia. Bruxelas não negociará este ponto.