Cover

Contra quem nos protegerá o escudo antimíssil?”, pergunta o România Liberă, um dia depois do Supremo Conselho de Defesa ter aprovado a instalação de interceptores norte-americanos em território romeno, a partir de 2015. Foi Barack Obama, lembra o diário, que “convidou Bucareste a participar na fórmula de revisão do escudo americano”. Esta reorientação do plano americano vai permitir “aumentar consideravelmente o nível de segurança do país”, assegura o Presidente romeno Traian Băsescu. As instalações não serão “dirigidas contra a Rússia”, precisou. O România Liberă explica que o antigo projecto de bases na Polónia e na República Checa, abandonado no Outono do ano passado, não era viável porque estar “situado muito próximo do enclave russo de Kaliningrad”. Em contrapartida, “os responsáveis americanos fizeram propostas concretas a Moscovo para que a Rússia seja incluída no projecto de escudo global, destinado a fazer face a eventuais ameaças vindas do Irão e da Coreia do Norte”.