Cover

"A perseguição de que é alvo a União de Polacos na Bielorrússia (UPB) atingiu o auge e chegou a altura de a Polónia responder", escrevve o diário de Varsóvia Gazeta Wyborcza , referindo-se à rápida intensificação do conflito entre Minsk e Varsóvia. Dois dias depois de uma "conversa dura" entre os ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países, as autoridades da Bielorrússia detiveram mais de 40 membros da UPB, ilegalizada. Antes, a polícia ocupara o centro cultural Casa da Polónia, em Ivyanets. "A UPB, a maior ONG não política na Bielorrússia, está na vanguarda daquilo que, para o regime bielorrusso, é a ‘terrível doença’ da democracia", insiste o diário liberal, que pede ao Governo polaco que tome medidas drásticas contra o Governo de Alexander Lukashenko. "Vamos dizer basta a Lukashenko!", diz o editorial da Gazeta, em que apela à UE para que ameace a Bielorrússia com sanções, se esta não parar de perseguir a minoria polaca. "Como todos os regimes, o da Bielorrússia só entende a força bruta", declara a concluir.