A crise na zona euro também afeta os países que não aderiram à moeda única. É o caso da Sérvia que viu a sua moeda desvalorizar, “descendo para 116 dinares por um euro e obrigando o banco central a voar em seu socorro vendendo 80 milhões de euros das suas reservas”, explica Le Monde.

O contexto interno, saído das eleições presidenciais de 20 de maio último, contribui para a degradação do clima de confiança:

Os investidores abandonaram, em massa, a moeda, […] depois do falhanço da coligação do Governo de Tadić, que incarnava a vontade de entrar na União Europeia (UE) e a vitória do líder de direita Tomislav Nikolić… que está a ter dificuldades em formar governo.

Belgrado tem, igualmente, grandes participações em “bancos estrangeiros originários de países da UE, com uma parte relativamente importante de bancos gregos e italianos”. E é por isso que é de temer “uma nova crise de crédito na região”, escreve o diário francês.