Cover

Chamam-se Dingo, Leopard, BO-105 e Type-204 e são as estrelas das exportações alemãs: um blindado, um tanque, um helicóptero e um submarino, cujas vendas dos últimos dez anos impulsionaram a Alemanha para o terceiro lugar entre os países exportadores de armas (11% do comércio mundial), a seguir aos Estados Unidos (30%) e à Rússia (23%), salienta o Frankfurter Rundschau. Uma classificação que não merece a confiança deste diário, segundo o qual, "nos negócios de armamento, a Alemanha ascendeu manifestamente à categoria de grossista". Desde o começo da década, as exportações alemãs quase duplicaram, afirma um relatóriodo Instituto Internacional de Investigação da Paz de Estocolmo (SIPRI), publicado em 15 de Março. "É verdade que a maior parte dos compradores são democracias estáveis. Mas fornecer submarinos aos eternos rivais que são a Turquia e a Grécia [os dois primeiros clientes] não é exactamente um acto de desanuviamento", ironizao FR, que fez do pacifismo um dos seus cavalos de batalha.