Cover

A segunda volta das eleições regionais francesas, a 22 de Março, saldou-se por uma dolorosa derrota para o campo do Presidente da República e uma vitória "histórica" do Partido Socialista, como se lê na manchete do Libération. A esquerda venceu em 21 das 22 regiões da França metropolitana, com mais de 53% dos votos, contra 35% da União para um Movimento Popular, de Nicolas Sarkozy. Segundo este diário, "o sarkozismo triunfante já era. Menos de três anos após a sua implacável campanha presidencial, o Chefe de Estado cai por terra". O acto eleitoral fica marcado por uma elevada abstenção (quase 48%) e pelo "avanço espectacular da Frente Nacional". Este partido de extrema-direita ultrapassa os 20% em várias regiões. Segundo o Libération, "a nova situação nascida das urnas torna a disputa de 2012 muito mais aberta, pela primeira vez desde 2007". "Toda a gente vê, agora, que a reeleição de Sarkozy é incerta." Outra consequência, de acordo com o jornal, é que, uma vez que nenhum dos 12 ministros candidatos foi eleito, deverá haver uma remodelação "técnica" do Governo no início desta semana.