No dia seguinte aos resultados das eleições, o Le Monde responsabiliza o presidente da Comissão Europeia pelo recorde de abstenção na votação. Perante o traumatismo da crise, principal preocupação dos europeus, Bruxelas permaneceu muda. "Não é o Parlamento que está em falta, é Barroso, desprovido de carisma político e de qualquer imaginação económica", escreve o diário no seu edital. Os Estados-membros preparam-se, no entanto, para o reconduzir. Preocupado em agir rapidamente, José Manuel Barroso deseja iniciar o mais rapidamente possível as consultas com o PPE. A principal questão é saber se o presidente da Comissão será eleito pelo Tratado de Nice [actualmente em vigor] ou pelo de Lisboa, que não foi ainda ratificado por todos os países membros, precisa o diário. Segundo o Tratado de Nice, a designação do Presidente necessita de maioria simples dos eleitos para o Parlamento. Já segundo o Tratado de Lisboa, seria necessária uma maioria absoluta de eurodeputados, ou seja 369 eleitos – ora sabe-se que o PPE disporá de 263 membros.