Alemanha: Pró ou contra Merkel, o desafio dos economistas

6 julho 2012 – Presseurop Der Spiegel, Handelsblatt

Descontentes ou satisfeitos com a ação da sua chanceler, os especialistas económicos alemães começaram a fazer política. Desde 5 de julho, lançam apelos seguidos de contra-apelos a condenar ou a apoiar a política de Angela Merkel na crise do euro.

A primeira salva foi disparada pelo muito ouvido chefe do Instituto Económico Ifo, de Munique, noticia o Spiegel-Online. Hans-Werner Sinn, que defende a ideia de que a política de resgate dos países europeus em dificuldades afeta a Alemanha, recolheu 170 assinaturas de economistas apelando aos “caros cidadãos” para manterem os deputados de sobreaviso contra uma política perigosa e pararem a união bancária. Essa união, segundo os subscritores do documento, obrigará os “países sólidos”, como a Alemanha, a assumirem riscos cada vez maiores no lugar dos seus parceiros endividados.

A resposta veio dos economistas mais próximos do patronato e dos sindicatos. Consideram o apelo dos seus colegas “perigoso” e desprovido de argumentos económicos e defendem a política da chanceler insistindo num aspeto: o Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE), que deverá entrar em vigor este mês, só servirá para financiar diretamente os bancos em crise depois da instauração de instâncias de controlo à escala europeia.

Factual or translation error? Tell us.