Cover

No momento em que a Grécia apela ao Fundo Monetário Internacional para fazer face à sua dívida, o FMI pede à Roménia – que pediu ajuda a esta instituição em 2009 – um esforço suplementar “para manter o seu défice orçamental dentro de limites suportáveis”, escreve o Adevărul. “Está a arder!”, titula o jornal, para quem o FMI “já não acredita nas promessas do Governo de Emil Boc e propõe o aumento de 4% da taxa única e de, pelo menos, 5% para o IVA”. Segundo o Adevărul, “a população e os empresários estão a pagar a incompetência do Governo para reduzir as despesas públicas [está prevista uma correcção] e os investidores estrangeiros procurarão um país com um regime fiscal mais amigável e mais previsível”.