O veredicto que a Noruega esperava foi revelado cerca das 10 horas de 24 de agosto: Anders Behring Breivk foi condenado a 21 anos de prisão pela autoria do atentado à bomba em Oslo (8 vítimas mortais) e do massacre dos jovens trabalhistas na Ilha de Utøya (69 vítimas mortais), a 22 de julho de 2011. Os juízes do Tribunal de Oslo consideraram que o terrorista de extrema direita está mentalmente são, excluindo assim um internamento psiquiátrico. Breivik não vai recorrer, anunciou a defesa.

É a solução esperada pela opinião pública norueguesa, que a imprensa, ao saber do veredicto, refletiu:

É mais fácil de aceitar quando o culpado tem de aceitar realmente a sua condenação e não apenas um tratamento médico. Não se deve menorizar os terroristas,

comenta também o diário Dagbladet. Uma opinião partilhada pelo tablóide VG, que realça o facto de a justiça ter, de certa forma, compensado as faltas da polícia e do governo, identificadas no relatório da comissão independente sobre os atentados do dia 22 de julho, que não protegeram devidamente os cidadãos contra os riscos de um ataque terrorista:

Depois de tudo aquilo que fizemos mal, sabe bem saber que Anders Behring Breivik foi condenado a 21 anos de prisão.