Irá a Bulgária entrar no espaço Schengen sem a Roménia, apesar de o dossiê dos dois países ter estado sempre ligado, desde a adesão à UE, em 2007? A questão coloca-se após as recentes declarações de dois responsáveis da Comissão Europeia.

O país está "preparado para Schengen", resume o diário popular búlgaro Standart, após a visita a Sófia do presidente da Comissão Europeia, em 31 de agosto. José Manuel Barroso declarou que "o problema da adesão da Bulgária ao espaço Schengen deveria ser separado em favor dos vizinhos situados a Sul [da Roménia], porque estes cumprem os critérios", dando a entender a Bulgária poderia, em breve, fazer parte do espaço europeu de livre circulação.

O diário Monitor explica que:

A questão da adesão da Bulgária a Schengen vais ser novamente examinada no Conselho dos ministros da Justiça e do Interior, em Bruxelas, em 20 e 21 de setembro. Segundo alguns especialistas búlgaros, Sófia receberá luz verde para a adesão, apesar das críticas crescentes contra a Roménia. Há um mês, o embaixador da Holanda em Sófia, Karel Van Kesteren, prometeu que o seu país deixaria de fazer obstrução à entrada da Bulgária em Schengen.

Esta hipótese parece tanto mais provável na medida em que, numa entrevista ao jornal Le Monde, a comissária da UE para a Justiça, Direitos Fundamentais e Cidadania, Viviane Reding, considerou que "a questão essencial é saber se o Estado de direito romeno nos pode deixar confiantes. [… Pela minha parte não ficaria surpreendida se os Estados decidissem não integrar a Roménia de imediato".

Para o diário romeno România liberă, é evidente que:

Barroso transmitiu claramente o sinal da separação dos dois Estados, enquanto Viviane Reding explicitava a coisa. A Roménia perdeu todas as hipóteses de aderir ao espaço Schengen dentro de um período previsível, depois dos ataques da coligação de centro-direita no poder contra o Estado de direito. Este grande insucesso do Governo de Victor Ponta vai afetar sobretudo o cidadão comum e a livre circulação de mão de obra romena". A Roménia "fica suspensa numa no man’ land sem calendário e sem qualquer perspetiva. Adeus Schengen para a Roménia…