Cover

Jordi Hereu, presidente da câmara de Barcelona, anunciou ontem “um decreto-lei que proíbe o uso de burqa e niqab em edifícios públicos”, informa El Periódico de Catalunya. O “súbito” anúncio marca uma viragem na tradicional política desta autarquia socialista, que ia mais no sentido de "persuadir e não excluir os imigrantes". A razão alegada para esta medida é a segurança dos cidadãos. Mas esta “surpreendente" decisão “está relacionada com a intenção de Jordi Hereu de construir uma imagem de liderança forte”, agora que conta com um fraco apoio popular, e após "rumores que sugerem a sua substituição para breve". El Periódico de Catalunya consideraainda que "a proibição pode ser contraproducente e criar mais problemas do que os que tenta solucionar", embora defenda a necessidade de proibir a burqa em bibliotecas públicas, mercados ou pavilhões gimnodesportivos. Barcelona não é a primeira cidade de Espanha a banir o traje islâmico. Lérida proibiu-o há umas semanas.