O conflito territorial entre a China e o Japão relativamente às ilhas Senkaku/Diaoyu (o seu nome em japonês e chinês) representa uma oportunidade única para a indústria eslovaca, adianta o Pravda. Na medida em que os chineses fazem boicote às viaturas japonesas e se viram para os modelos alemães. No entanto:

É em Bratislava que a sociedade Volkswagen produz três dos seus modelos desportivos mais solicitados na China. As vendas da Audi e da Volkswagen aumentaram 20% em setembro. Na China, os ricos compram muitos carros de luxo e não se sente realmente a crise.

Antes da crise diplomática entre Pequim e Tóquio, as marcas japonesas representavam 20% do mercado chinês. Em setembro, as vendas da Toyota, a marca mais vendida no mundo, caíram 40% no país. Em contrapartida, explica o diário, Bratislava, onde se situa a única fábrica no mundo que produz Volkswagen Touareg, Audi Q7, assim como a carroçaria do Porsche Cayenne,

continua a produzir altas cilindradas, sete dias por semana, e não pretende interromper a produção.