Cover

Com o preço dos combustíveis a atingir valores recorde, os italianos dirigem-se cada vez mais ao mercado negro para atestar o depósito, adianta o La Repubblica. O diário de Roma relata a recente descoberta feita pela brigada financeira italiana de um mercado negro da gasolina: “36 sociedades envolvidas – 11 estrangeiras e 25 italianas – 20 milhões de quilos [1 kg = 1,351L] de gasolina importada ilegalmente e uma perda de 8 milhões para o fisco”, escreve. O combustível chegava da Grécia ao porto de Ancona (centro). Os camionistas italianos vinham atestar o depósito de gasóleo diretamente dos camiões-cisterna, por um terço do preço oficial.

Uma outra investigação revelou que o gasóleo agrícola, vendido a preços amigáveis aos cultivadores, é vendido pelos distribuidores aos particulares para o transporte e o aquecimento.

Segundo o La Reppubblica, este fenómeno explica-se através da subida do preço da gasolina, devido ao aumento das taxas impostas pelo Governo no âmbito da sua política de restruturação das finanças públicas:

2012 foi o pior ano para o combustível. O imposto fiscal sobre o combustível aumentou quatro vezes num ano e, em certas regiões, o preço da gasolina ultrapassou os 2 euros, um valor recorde. Segundo a Associação de petrolíferas, o consumo baixou 14% em comparação ao ano anterior e o aumento do IVA previsto no orçamento de 2013 deverá provocar uma nova subida dos preços.