Cover

“Calados hoje para podermos falar amanhã”, diz o cabeçalho do website de L'Espresso. O semanário romano, como a maioria dos jornais italianos de hoje, está em greve para protestar contra a controversa lei governamental das escutas. “O website não vai ser atualizado, para cumprir um dia de silêncio contra a ‘lei da rolha’”, explica o jornal, em diversas línguas. De acordo com o primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, a lei, que proíbe a publicação de escutas antes de as partes envolvidas irem a tribunal, destina-se a proteger a privacidade. Enquanto a lei é debatida na Câmara Baixa do Parlamento, a maioria dos jornalistas italianos, juízes e delegados do Ministério Público defendem que se trata de um escudo para os políticos e uma cortina de fumo para as suas ilegalidades.