Reino Unido: Rolam cabeças enquanto a BBC mergulha cada vez mais na crise

12 novembro 2012 – Presseurop The Independent, The Daily Telegraph, The Guardian

A BBC enfrenta a mais profunda crise de sua história com a dramática demissão, este fim de semana, do seu diretor-geral, George Entwistle, depois de ter tomado posse do cargo há apenas 54 dias. Entwistle sai depois de, na sexta-feira, a BBC ter noticiado erradamente o envolvimento de Lord McAlpine, um antigo alto dirigente do Partido Conservador, numa história de pedofilia. Este é o segundo escândalo a atingir a BBC nas últimas semanas, depois de se ter ficado a saber que Newsnight, o principal programa noticioso da estação, silenciou as alegações de pedofilia contra Jimmy Savile, uma estrela da BBC já falecido.

Numa altura em que a comunicação social britânica disseca uma outra demissão ao mais alto nível que teve lugar hoje de manhã, a de Helen Boaden, diretora de informação da BBC, e critica o salário de 450 mil libras (€562 mil) de Entwistle, The Independent escreve que os acontecimentos das últimas semanas têm sido “um presente” para “os inimigos da BBC”:

São legiões, à direita, e há anos que estão sequiosos de um desastre na estação que consideram ter uma tendência pró-europeia, antiTory e ligeiramente esquerdista.

O perigo, agora, é que aconteça uma espécie de caça às bruxas acelerada, com cada demissão a alimentar as suspeitas de que mais alguém menos merecedor seja autorizado a continuar no seu cargo, aumentando o clamor por mais vítimas.

Estes sentimentos foram expressos por Boris Johnson, o conservador presidente do município de Londres, que na sua coluna semanal do Daily Telegraph critica severamente a BBC pelo seu jornalismo “de tão má qualidade, tão cretino” e cujos praticantes andam agora “a entrevistar-se uns aos outros numa absurda orgia de auto piedade”.

A BBC deve ajoelhar-se perante McAlpine e continuar de joelhos até que o público perceba a mensagem. Todas as pessoas envolvidas na história da “pedofilia” no Newsnight têm de ser demitidas imediatamente.

Entretanto, The Guardian avisa que

há que ter sentido das proporções. Sim, isto é uma verdadeira crise para a BBC. É difícil desculpar alguns dos seus recentes erros de jornalismo e administração. Mas ainda é uma estação verdadeira, confiável e respeitada internacionalmente que sobreviverá e, sob a liderança certa, prosperará.

Factual or translation error? Tell us.