Cover

"Deitem o palácio abaixo. Está a tapar a vista da cruz!" e "Levem a cruz para a igreja. A Polónia é um Estado secular!" – estes slogans podiam ser vistos durante uma manifestação contra a cruz em frente ao palácio presidencial, em Varsóvia, na noite passada, relata oGazeta Wyborcza, na primeira página. A cruz foi colocada diante do palácio depois do acidente aéreo de 10 de abril, perto de Smoleńsk, na Rússia, no qual morreram 96 individualidades polacas, entre as quais o Presidente Lech Kaczyński. Em 3 de agosto, um grupo de defensores da cruz bloquearam a sua transferência para uma igreja próxima, em violação de um acordo prévio com a hierarquia da Igreja. O facto levou Dominik Taras, cozinheiro na Academia de Belas Artes de Varsóvia, a organizar um protesto no Facebook, que levou vários milhares de pessoas a juntarem-se diante do palácio, na noite passada, para pedir que a cruz fosse mudada de local. "Ao recuar perante os defensores da cruz, o Estado aprovou o que está a acontecer aqui. Também queremos ter a nossa parte em gozar com a situação", disse Taras àquele diário.