Há um século que não se viam esturjões a cruzar o mar Báltico. O excesso da pesca e a poluição – o Báltico é um dos mares mais poluídos do mundo – tinham acabado com o peixe longilíneo. Mas, como atestam recentes capturas de pescadores suecos e dinamarqueses, "o esturjão está de volta", anuncia o Le Monde. Esta reaparição deve-se a "largadas de esturjões" a título experimental por laboratórios russos e polacos. "Estas tentativas de reintrodução do esturjão (…) são contudo reveladoras: algo está a acontecer no mar Báltico", sublinha o diário francês. No passado 10 de Junho, a Comissão Europeia apresentou a sua estratégia para descontaminação das águas do Báltico, que visa, por exemplo, suprimir os fosfatos dos produtos de limpeza. A Suécia, que assegura a presidência da UE a partir de 1 Julho, tem também essa como uma das suas prioridades.