Cover

Reformas, escândalos político-financeiros, ciganos... A rentrée está a ser, como previsto, muito quente para o Governo francês, afirma o Libération que titula como “Surto de febre” os protestos no país. “Divertido movimento social. Mal chegaram de férias, os franceses foram convocados para se manifestarem amanhã [terça-feira, 7 de setembro] contra um projeto de alteração das reformas (...), apresentado por um ministro [Eric Woerth, o ministro do Trabalho suspeito de conflito de interesses no caso Bettencourt] preso por um fio, no meio de um clima de desconfiança generalizada”, escreve aquele diário. No sábado, 4 de setembro, vários milhares de pessoas desfilaram pelas ruas de Paris contra a política “xenófoba” do Governo francês, sobretudo no que diz respeito aos ciganos.