Cover

O Sejm, o Parlamento polaco, vota hoje a ratificação do pacto fiscal, que deverá ser aprovada pela maioria dos partidos, exceto o Lei e justiça (PiS), o principal partido da oposição, e o seu pequeno aliando, Solidariedade Polónia.

Durante o debate realizado ontem, o primeiro-ministro Donald Tusk instou os deputados a terem uma “discussão positiva” sobre a adesão da Polónia à zona euro, o que poderia ser possível quando “o país estiver 100 por cento pronto”. Até agora, nenhum prazo foi definido. No entanto, Tusk admitiu que essa poderá ser uma “tarefa para uma geração”. Por outro lado, os deputados do PiS lamentaram que “a adesão à zona euro fizesse a Polónia depender de um comité central em Bruxelas”.