O Parlamento Europeu rejeitou o orçamento da UE para 2014-2040, que considera demasiado austero. Por 506 votos a favor, 161 contra e 23 abstenções, os eurodeputados exigiram alterações ao projeto apresentado pelos Estados-membros.

Este resultado era previsível, nota o Adevărul:

Apresentado como uma vitória da razão, do equilíbrio e do desejo de continuar, o orçamento foi considerado pelos eleitos do Parlamento Europeu o resultado de uma negociação entre comerciantes de tapetes e não tanto uma verdadeira construção elaborada por gente que pensa, com responsabilidade, no futuro da UE.

Por agora, adianta o diário romeno, cada grupo quer ser o que fala mais alto e o que é mais visível para impedir o orçamento da UE. Os eurodeputados querem transmitir uma mensagem positiva aos contribuintes que demonstre a sua preocupação para com eles. Na expectativa de chegar a um acordo, a UE poderá continuar a funcionar com base num orçamento idêntico ao do ano anterior. O diário conclui:

É talvez o último e mais importante episódio que demonstra a necessidade e a urgência de pôr fim ao atual sistema de tomada de decisões e de passar a uma alteração dos tratados em vigor.