Cover

"Código de Trabalho vira à direita", constata o Adevărul. O Governo romeno, explica o diário, prepara, "a pedido do Fundo Monetário Internacional", um texto que anuncia a semana de trabalho de 40 a 60 horas e flexibiliza os despedimentos. Estas medidas colidem com a diretiva europeia que limita a semana de trabalho às 48 horas. A Roménia, à semelhança do Reino Unido, "poderia dispor de uma derrogação [opt-out] que permita ao trabalhador optar pelas 60 horas por semana, durante um máximo de seis meses", afirma o jornal. Enquanto os sindicatos alertam para um "banho de sangue", o país encontra-se dividido entre "as exigências do FMI e os conselhos da Europa" nesta matéria.