Cover

A 18 de abril, apesar do apoio do Partido Democrata (PD), do Povo da Liberdade (PDL) e do partido do primeiro-ministro Mario Monti, Franco Marini ficou muito longe da maioria de dois terços necessária para ser eleito Presidente da República italiana.

A candidatura de Marini resultou de um acordo, muito criticado, entre o PDL de Silvio Berlusconi e o seu adversário Pier Luigi Bersani do PD, mas quase metade dos delegados recusou dar-lhe o seu voto.

A 19 de abril, Bersani anunciou que o novo candidato do PD à Presidência é Romano Prodi, antigo primeiro-ministro de Itália e ex-presidente da Comissão Europeia. Mesmo que outros partidos não o apoiem, Prodi deverá ser eleito, bastando-lhe apenas os votos do PD, porque a quarta votação, que terá lugar na sexta-feira à tarde, requer apenas uma maioria simples.