Cover

A União Europeia prevê impor taxas sobre a importação de equipamentos solares fabricados na China, uma intenção que se arrisca a desencadear “uma das maiores batalhas comerciais das últimas décadas”, segundo este jornal de negócios.

As taxas, que incidirão sobretudo sobre os painéis solares e os seus principais componentes, as células solares e as plaquetas de silício, subiram até 46% segundo as fontes contactadas pelo WSJ, e deverão proteger a produção europeia das importações de materiais chineses muito baratos. Poderão ser aplicadas já a partir do próximo dia 5 de junho.

Dezenas de empresas europeias fecharam desde que, há seis anos, a China entrou neste mercado, enquanto os empresários europeus denunciam o pagamento ilegal de subsídios do Estado aos seus concorrentes chineses.

A Europa é o primeiro mercado mundial de painéis solares e, em 2011, a China controlava 80% deste mercado, com um montante de cerca de 21 mil milhões de euros, ou seja, 7% da totalidade das exportações chinesas para a Europa.