Cover

A primeira-ministra Alenka Bratušek anunciou, a 9 de maio, um vasto programa de privatizações e um aumento do IVA, que passará de 20 para 22% a partir de 1 de julho. Esperadas há vários dias, estas medidas destinam-se a responder ao risco de crise bancária sem ter de recorrer à ajuda internacional.

O Governo renunciou a um “imposto de crise” mas não exclui a possibilidade de ainda ter de recorrer a ele se as medidas anunciadas não tiverem o efeito esperado, explica o Delo, que precisa que se trata de, em 2014, levar para os 3,3% do PIB o défice orçamental, que deverá atingir os 7,8% em 2013, contra 4% em 2012. O Governo também está a negociar com os sindicatos uma baixa de salários na função pública.

Vão ser privatizadas 15 empresas nacionais, entre as quais o segundo maior banco do país, Nova KBM Bank, o principal operador de telecomunicações, Telekom Slovenia, a companhia aérea Adria Airways e o operador do aeroporto de Liubliana.