“Pode tentar as vezes que quiser, mas as novas notas de €5 introduzidas no dia 2 de maio não são reconhecidas pelas máquinas de venda automática”, revela La Repubblica. Os jornalistas do diário italiano tentaram utilizar a nova nota da série ‘Europa’” em máquinas utilizadas para comprar bilhetes, bens de consumo e outros produtos em dez cidades italianas e descobriram que a grande maioria não conseguia distingui-las das notas falsificadas.

A diferença entre as novas e as antigas notas não é apenas visual, explica La Repubblica, a nova nota é protegida por uma banda holográfica. Por consequência, mais de 100 mil máquinas italianas deverão ser atualizadas, e isso tem um custo para os proprietários que deverão pagar entre €100 a €500 por cada máquina. No entanto, vários modelos antigos tornaram-se obsoletos e deverão ser substituídos por novos, podendo custar até €6 mil.

Para piorar a situação, revela ao diário o presidente da associação dos retalhistas de tabaco,

as novas notas não são todas produzidas nas mesmas instalações, a atualização foi portanto adiada para evitar pequenas diferenças que tornariam de qualquer forma as notas ilegíveis. E quando as novas notas de €10 e €20 forem introduzidas, teremos de repetir novamente o processo.

Mas o caos é mínimo, quando comparado com o que poderia acontecer se a mudança abrangesse também as moedas, acrescenta ele:

Dois milhões e meio de máquinas funcionam apenas com moedas. Se estas viessem a mudar, seria uma verdadeira catástrofe.