Cover

Dois homens foram feridos a tiro pela polícia do sudeste de Londres a 22 de maio depois de terem atingido, com um carro e em pleno dia, um soldado fora de serviço antes de o esfaquear até a morte perante dezenas de pessoas aterrorizadas.

Os dois homens pediram às testemunhas em choque para tirar fotografias e filmar a cena que estava a ocorrer fora da caserna militar da Royal Artillery, baseada em Woolwich, e explicaram o seu gesto como uma resposta aos muçulmanos mortos pelas forças armadas britânicas.

Após este assassínio, mais de uma centena de membros de um grupo de extrema-direita entraram em conflito com a polícia após terem atacado mesquitas no Sul da Inglaterra. O primeiro-ministro David Cameron deverá reunir-se com os seus conselheiros neste 23 de maio, enquanto a segurança foi reforçada nas imediações das bases militares britânicas.