“A 1 de junho, cerca de meio milhão de manifestantes festejaram, na praça Taksim, na centro de Istambul, uma primeira vitória sobre [o primeiro-ministro islamo-conservador Recep Tayyip] Erdogan. Um pouco por todo o lado, na Turquia, “os manifestantes pediram a demissão do governo”, conta Die Tageszeitung. As manifestações continuaram durante todo o fim de semana.

Os protestos foram desencadeados por um projeto de centro comercial no parque Gezi, no centro da grande cidade turca mas, lembra o diário:

desta vez, a arrogância de Erdogan induziu-o em erro. O conflito em torno do parque transformou-se em ajuste de contas por causa da proibição do álcool, das pressões nas universidades e da repressão da liberdade de expressão e da impertinência com que os partidários islamitas se impuseram, pensando que o país só lhes pertence a eles.