Cover

Na sua última avaliação sobre a situação da Itália, o Fundo Monetário Internacional (FMI) pediu a Roma para não abolir o IMU, um imposto sobre o património imobiliário introduzido pelo anterior Governo.

Um conselho que poderá embaraçar o primeiro-ministro Enrico Letta, porque a abolição do IMU foi uma das principais condições impostas pelo seu aliado Silvio Berlusconi, para que o Partido do Povo participasse na coligação governamental, escreve o jornal Corriere della Sera.

Segundo o diário de Milão, Letta terá de desobedecer ao FMI e arranjar o dinheiro de outra maneira – muito provavelmente, através de um aumento do IVA.