Cover

Os dois cúmplices do autor do atentado de Burgas, em 2012, deverão ser julgados na Bulgária antes do final do ano, escreve o jornal 24 Tchassa.

A última peça incriminatória apresentada pelos investigadores é um emissor de rádio utilizado pelos suspeitos que terá sido comprado por membros do Hezbollah. Esse facto terá pesado na decisão da UE de inscrever o braço armado do movimento xiita libanês na lista das organizações terroristas. Os dois suspeitos, Meliad Farah e Hassan al Hajj Hassan, foram recrutados pelo Hezbollah em 2010, numa altura em que eram estudantes na universidade de Beirute. Juntaram-se, então, ao autor do atentado suicida, que usou o pseudónimo de Jacques-Philippe Martin. Morreram seis pessoas, cinco das quais eram cidadãs israelitas.