Cover

Depois de o Supremo Tribunal ter confirmado a pena aplicada ao antigo primeiro-ministro Silvio Berlusconi e o ter condenado a um ano de prisão domiciliária por evasão fiscal, as suas controversas declarações sobre uma futura “guerra civil” suscitaram a preocupação de que a manifestação do seu partido , em Roma, no próximo domingo, possa significar o fim da estabilidade política em Itália.

Berlusconi jurou “continuar a lutar” e desafiou os seus seguidores a resistir ao “terrível poder” judiciário italiano, mas não abandona a coligação com o Partido Democrata, afirmando que “o governo tem de continuar”, [refere Corriere] (http://www.corriere.it/politica/13_agosto_04/berlusconi-discorso-plebiscito-manifestazione_f1c3c08a-fd1d-11e2-ac1e-dbc1aeb5a273.shtml).

De acordo com a maioria dos comentadores, Il Cavaliere – que poderá perder este título com esta condenação – acredita num compromisso que lhe permita candidatar-se às próximas eleições. No entanto, se isso falhar, Berlusconi prepara-se para provocar uma crise política e forçar eleições antecipadas para outubro.